Quinta-feira, 20 de Novembro de 2008

Estórias de Natal

Porque o Natal se aproxima, deixo-vos esta pequena estória que, certamente tocará os vossos corações

 

A Pequena Vendedora de Fósforos

Hans Christian Andersen

 
Fazia um frio horrível, nevava e o dia escurecera. Era véspera de Natal Naquele frio, naquela escuridão, perambulava pelas ruas uma pobre menina com os pés descalços roxos de frio. Carregava em seu 
velho avental pacotes de fósforos, mas naquele dia ninguém lhe comprara nada. 
Não havia conseguido nem ao menos uma única moedinha. Caminhava franzina, faminta. Era a própria imagem do desalento com os flocos de neve caindo-lhe pelos longos cabelos louros. Todas as janelas estavam iluminadas, e o cheiro dos assados resplandecia no ar, pois era véspera de Natal.
Abrigou-se entre duas casas, encolhendo-se contra as paredes, transpassada de frio e de fome. Não ousava voltar para casa pois não havia vendido nada e seu pai a espancaria. E depois em casa também fazia muito frio 
Com as mãozinhas duras de frio pegou um palito de fósforo e 
acendeu.
A chama do fósforo se elevou como uma velinha aquecendo a 
mãozinha gelada. A menininha teve a impressão , então, de estar sentada diante de uma lareira toda adornada. Mas quando a chama se apagou a lareira desapareceu e restou-lhe na mão apenas um toco de fósforo queimado.
A menina, então, acendeu outro fósforo e viu-se em uma sala 
diante de uma mesa com toalha alvíssima, toda enfeitada de porcelanas , com assados, doces  e frutas finas. Quando ela ia alcançá-los o fósforo apagou-se e ela viu- se novamente sentada no chão morrendo de fome e de frio. A menina acendeu mais um fósforo e viu-se sentada debaixo da mais bela árvore de Natal como jamais havia imaginado. Milhares de anjinhos que enfeitavam a árvore inclinaram-se para olhá-la . A menina estendeu a mão para tocá-los mas o fósforo se apagou. Rapidamente acendeu outro fósforo .
A chama lançou uma enorme claridade ao redor , e diante de tanta 
LUZ, estava a sua velha avó, a única pessoa que a havia tratado bem neste mundo. 
Radiante a olhava com muita doçura. A menininha gritou: VOVÓ!! Me leva daqui, me leva com você. Sei que quando o fósforo apagar vai desaparecer, como a lareira, como a ceia, como a árvore de Natal. E ela , apressadamente, acendeu todos os fósforos de uma só vez pois queria reter a vovó. Os fósforos , então,lançaram uma luz brilhante, mais radiante que a Luz do Sol. A vovó tomou a menininha nos braços , e em meio ao esplendor, voou com ela para Deus, para um lugar onde não havia nem fome, nem frio
No dia seguinte, naquela rua gelada, encontraram a menininha 
morta, ainda sentada, com o rostinho corado, um sorriso nos lábios segurando nas mãozinhas um pacotinho de fósforos queimado.
”Coitadinha, disseram as pessoas. Deve ter morrido de frio. Acendeu os fósforos para aquecer-se.”
Mas o que ninguém sabia era das belas coisas que ela vira e nem 
do esplendor em que ela e sua querida vovozinha tinham subido para Deus, para aquele lugar onde não existe fome e nem frio.

 

 

sinto-me:
publicado por bitu às 22:25
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Julho 2009

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
29
30
31


.posts recentes

. Água e Sabão: Contra as B...

. Estórias de Natal

. ...

. ...

. ...

.

.

.

. ...

. ...

. ...

. ...

. ...

. ...

. ...

. ...

. ...

. ...

.

1º Dezembro , do...

. ...

.arquivos

. Julho 2009

. Novembro 2008

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Março 2005

. Fevereiro 2005

.favorito

. Mensagem de Páscoa...

blogs SAPO

.subscrever feeds