Terça-feira, 22 de Março de 2005

Sempre pensamos que só acontece aos outros!

Aproxima-se um fim de semana que será, certamente de muito movimento rodoviário. Como sempre acontece, infelizmente, os acidentes aumentam. Fazer uma condução cuidadosa, não só por nós mas tb pelos outros, é o que diáriamente se pede aos automobilistas. Tentando chamar a atenção para o problema grave que é a sinistralidade nas nossas estradas, decidi contar esta triste história, que mais não é que a minha. Talvez possa contribuir para a reflexão sobre o assunto.



15 de Janeiro 1983.É um sábado como tantos outros!
Levantei-me, fui às compras, almoçamos por volta das 20 horas saímos de casa, com um casal amigo e o filhote com 3 anos, tal como a minha filha, em direção ao Alentejo.
Eu, com a minha amiga e as crianças íamos no banco de trás. Percorrido meio caminho, começou a chuviscar. Rolávamos, talvez a 120 ou 130 Km /h. Rebentou um pneu, o carro começou aos ziguezagues.
O meu marido tentava controlar a situação, mas todos entrámos em pânico. O carro cabotou.
Acordei dois ou três minutos depois, deitada no meio da estrada.
Não sentia as pernas. Não me conseguia levantar e o do outro lado, a minha filha chorava.
Via o meu marido insconsciente, na estrada. Só queria que acudissem aos dois primeiro. Era noite, estava escuro como breu e só receava que algum carro não os visse.
Fomos transportados ao hospital de Setubal. O meu marido, em coma, seguiu para Lisboa juntamente com a minha filha. Eu fiquei mais tempo mas posso garantir-vos que os médicos pensaram que não conseguiria sobreviver então nem valia a pena tratar bem das cicatrizes ou retirar os vidros do pulso antes colocar o gesso. Segui para Lisboa onde fui operada para fixar a coluna. O médico estava pessimista quanto ao meu estado.
Entretanto o meu marido saiu de coma e a minha filhota continuava internada com as duas pernas partidas. O outro casal não sofreu nada e nunca chegaram a visitar-nos no hospital. Enquanto estive internada, pude contar com ajuda da família, dos amigos e de todos os meus colegas que diáriamente me visitavam e levavam almoço e jantar.
(A elas o meu eterno agradecimento).
Só pedia a Deus que me deixasse viver para ver crescer a minha filha. Tinha que ter forças para mim e para dar aos que me amavam. Não me lastimava para não os ver sofrer. Sorria quando me apetecia chorar, mas eles precisavam que lhe transmitisse força. Estive em Alcoitão até Outubro. Vi muitos jovens com 16 , 18 anos paraplégicos Olhava-os e esquecia um pouco a minha dor. Tive alta mas agora colocava-se outro problema: vivia num segundo andar sem elevador. Era necessário trocar de casa com urgência. Tive alta e em Outubro já vivia na minha casa nova: um rés de chão. E agora? Era preciso continuar...
e continuei...
Aos meus amigos, que tiveram a paciência de ler até ao fim, um grande abraço
publicado por bitu às 23:08
link do post | comentar | favorito
|
13 comentários:
De Anónimo a 26 de Março de 2005 às 00:05
Oi...
Fiquei muito feliz com sua visita.Que bom que você gostou do que viu no meu Blog.Gostei muito do seu também.Volte sempre que puder e sempre que quiser.Bjos...Samia
(http://www.casaz.blog.uol.com.br)
(mailto:casaz@uol.com.br)


De Anónimo a 25 de Março de 2005 às 14:00
é preciso ter uma gd força de espirito e vontade para se ultrapassar 1 situaçao dessas... :) jksMalucaResponsavel
(http://malucaresponsavel.blogs.sapo.pt)
(mailto:claudiageiroto@hotmail.com)


De Anónimo a 25 de Março de 2005 às 10:33
Fizeste-me chorar, minha querida! Grande FORÇA a tua. E grande CORAGEM também. Obrigada por partilhares o teu sofrimento e a tua vida. Desejo-te tudo de bom. E uma FELIZ PÁSCOA, na companhia da tua família. Beijos ternos ;-)Menina_marota
(http://eternamentemenina.blogs.sapo.pt/)
(mailto:Menina_marota@sapo.pt)


De Anónimo a 24 de Março de 2005 às 15:56
Amiga!
Sei tão pouco de ti, mas ao ler o que contas, chorei...

Obrigada pela tua partilha!

Uma feliz Pascôa!

beijinhos

Isaisa
(http://)
(mailto:singularidade@postmark.net)


De Anónimo a 24 de Março de 2005 às 13:58
Esqueci de deixar os desejos de uma Feliz Páscoa para ti e para os teus. Aqui ficam. bjsAnjo do Sol
(http://www.palavrasapenas.weblog.com.pt)
(mailto:anjodosol@sapo.pt)


De Anónimo a 24 de Março de 2005 às 13:57
E acabei por chorar ao ler. Chorei ao ver a tua força de viver, a tua vontade e o amor que sentes pelos teus. Eles têm a sorte de te ter a ti. Mas, sempre que tenhas de chorar fá-lo. Eu tenho calcado lágrimas ao longo da minha vida, por coisas simples, daquelas que nos magoam. Tentei sempre resistir ao choro. Até em horas mais difíceis (nada comparada com as tuas que nem consigo imaginar). Mas de há algum tempo deixei de resistir às lágrimas. E caem sem que me dê conta, como se a reserva estivesse cheia e necessitasse de escoar finalmente. Mas, sendo tu uma mulher forte, sabes também que parte dessa força é feita de fraquezas, porque necessitamos delas também. E necessitamos de sucumbir às fragilidades de vez em quando. Um abraço enorme para ti e que realmente sirva de exemplo para quem te lê e ande na estrada, mesmo que o que aconteceu não tenha sido por responsabilidade de ninguém. Bjs Anjo do Sol
(http://palavrasapenas.weblog.com.pt)
(mailto:anjodosol@sapo.pt)


De Anónimo a 24 de Março de 2005 às 13:49
As vezes acontece-nos aquilo que nunca esperavamos, mas o certo é que tal como nós existem muitas pessoas no mesmo estado...As vezes dá vontade de chorar, mas o facto de estarmos vivos já é um bem haja...Acredito que te custa estar assim, mas também acredito que a alegria de estares com quem amas te fara superar toda essa angustia e dor, porque no meio da chuva ha sempre um arco iris :) Um beijo doce e boa sorteMissLadyMystery
(http://MundoDosSonhos.blogs.sapo.pt)
(mailto:lovespellyou@portugalmail.pt)


De Anónimo a 23 de Março de 2005 às 23:21
Oi Maria, espero que todos q passarem por aki, parem por um segundo do que estiverem fazendo e ao lerem sua historia reflitam pela vida, e que podemos perdê-la em fração de segundos, Ana parabéns pela sua coragem e que Deus esteja presente sempre em seu caminho.Uma Linda páscoa pra vc e toda sua família repleta de luz, paz e mta saúde.beijosssssssHelaine
(http://www.meumundo.blogger.com.br)
(mailto:helainecristina@hotmail.com)


De Anónimo a 23 de Março de 2005 às 20:17
Os testemunhos na primeira pessoa fazem-nos pensar. De facto a nossa fragilidade é enorme e num segundo a nossa vida pode modificar-se. Tive um experiencia semelhante recentemente e aprendi da pior forma as consequencias de atravessar fora da passadeira. Actualmente está tudo bem, mas o susto permitiu que mudasse a minha postura enquanto peão e também enquanto condutora. Beijo e boa páscoa.Monalisa
(http://sitiodasaudade.blogspot.com)
(mailto:monalisa_299@hotmail.com)


De Anónimo a 23 de Março de 2005 às 16:53
Amiga,
hoje tal como da primeira vez que li a tua história, fiquei imensamente comovida e sem palavras. Por isso só vou dizer:
Que hoje e todos todos os dias da tua preciosa vida, Deus te continue a proteger, a abençoar, a dar-te força e coragem. E gritar: PARABÉNS POR EXISTIRES E POR SERES QUEM ÉS. Bjinho super xxl da AAmiga que te Adora, Kiki.Kiki
</a>
(mailto:lu.ki@sapo.pt)


Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Julho 2009

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
29
30
31


.posts recentes

. Água e Sabão: Contra as B...

. Estórias de Natal

. ...

. ...

. ...

.

.

.

. ...

. ...

. ...

. ...

. ...

. ...

. ...

. ...

. ...

. ...

.

1º Dezembro , do...

. ...

.arquivos

. Julho 2009

. Novembro 2008

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Março 2005

. Fevereiro 2005

.favorito

. Mensagem de Páscoa...

blogs SAPO

.subscrever feeds